Temos o orgulho de anunciar que a Ferramenta de Consentimento GDPR da Clickio está entre os primeiros CMPs a passar em todas as verificações de conformidade da Transparency and Consent Framework (TCF) v2.0; a nova versão da ferramenta de consentimento GDPR desenvolvida pelo IAB para o ecossistema de publicidade digital. Essa é uma notícia importante para nós, pois mostra que o IAB, a associação mais importante para o ecossistema de marketing e publicidade digital, reconhece a confiabilidade dos produtos da Clickio. Até agora, apenas 11 dos 74 CMPs passaram nas verificações.

Neste post, explicaremos o que é IAB Transparency and Consent Framework v2.0 e por que é importante que um publisher adote um CMP registrado para estar em conformidade com o GDPR.


Índice


O que é o GDPR

Simplificando o conceito, GDPR é um conjunto de regras que harmoniza e reforça a proteção de dados para indivíduos em toda a Europa. Entrou em vigor no dia 25 de maio de 2018. Em comparação com as leis europeias anteriores de proteção de dados, o GDPR apresenta algumas diferenças importantes.

Em primeiro lugar, o GDPR expande a definição de dados pessoais para endereços IP, cookies, IDs de anúncios para dispositivos móveis e muito mais. Além disso, o GDPR é extraterritorial, o que significa que se aplica a todas as empresas que processam dados pessoais de usuários do Espaço Econômico Europeu, independentemente da localização das empresas (por exemplo, se aplica a um publisher americano no momento em que um usuário francês visita seu site). Além disso, estabelece padrões mais elevados para o consentimento do usuário, que deve ser “específico, informado, não ambíguo, ativo e dado livremente” e fácil de retirar a qualquer momento. Por último, mas não menos importante, o GDPR introduz multas rígidas por não cumprimento, até 20 milhões de euros ou 4% da receita global.

O regulamento se aplica a todas as empresas que coletam e usam dados do usuário para segmentar atividades de marketing, incluindo anúncios. Por esse motivo, todos os publishers que veiculam anúncios personalizados para usuários europeus, seja diretamente ou usando parceiros (Google AdSense, Criteo, etc.), são afetados pelo GDPR e devem obedecê-lo.

O que é IAB Transparency and Consent Framework (TCF)

Com o objetivo de tornar o processo de solicitar consentimento coerente em todo o mercado, o IAB Europa desenvolveu um instrumento chamado “Transparency and Consent Framework”; que representa um standard de referimento para coletar facilmente o consentimento dos usuários e compartilhá-lo com o restante da cadeia de suprimentos.

De acordo com o IAB, existem três tipos de empresas envolvidas nesse processo: publishers, fornecedores (provedores de tecnologia como DSPs, SSPs, DMPs, servidores de anúncios, etc.) e CMPs (Consent Management Provider, ou seja, empresas que podem ler e/ou definir status de consentimento de um usuário para os fornecedores escolhidos por um site e compartilhar essas informações no ecossistema de publicidade).

Ao implementar o framework, os publishers podem informar seus usuários sobre quais dados estão sendo coletados, quais fornecedores os usarão e por quê. Para cada um desses itens, os usuários podem dar ou negar consentimento e sua escolha pode ser compartilhada com outros players no mercado de publicidade.

O que é IAB Transparency and Consent Framework (TCF) v2.0

Em agosto do ano passado, o IAB Europa anunciou o lançamento do “Transparency and Consent Framework (TCF) v2.0, a segunda versão do framework, resultado de um período de revisão de 12 meses, durante o qual o IAB coletou feedback de todos os setores da indústria de publicidade digital (principalmente publishers), bem como realizou reuniões com autoridades de proteção de dados (DPAs) em toda a Europa.

Entre as principais novidades do TCF v2.0, existe agora a possibilidade de os consumidores autorizarem ou negarem o consentimento para a coleta de dados, além de exercerem o “direito de objeção” ao uso dessas informações pessoais. Além disso, os consumidores agora têm mais controle sobre se e como os fornecedores podem usar determinados recursos do processamento de dados, como por exemplo a geo localização.

O TCF v2.0 também garante benefícios aos publishers, que agora têm mais controle e flexibilidade nas integrações e colaborações com seus parceiros tecnológicos, podendo gerenciar as permissões de uso de dados de maneira diferente para cada fornecedor. Ao mesmo tempo, os publishers podem garantir maior transparência aos seus usuários, graças à introdução de motivações mais claras e detalhadas para o uso dos dados e maior flexibilidade na maneira como são descritos para os usuários.

Como o GDPR afeta os publishers e suas receitas de anúncios

Para os publishers que possuem usuários do bloco econômico europeu em sua audiência, é essencial estar em conformidade com o GDPR; caso contrário, poderão sofrer multas pesadas. Para além do aspecto monetário, há também outra razão pela qual os proprietários de mídias devem atender aos requisitos deste regulamento. Fornecer aos usuários mais informações e controle sobre o uso de seus dados pode melhorar o relacionamento com os publishers e aumentar a confiança na publicidade digital. Dois fatores que são realmente importantes para a sobrevivência de todo o ecossistema online.

No entanto, quando o mercado começou a lidar com a questão do GDPR, a maioria das empresas estava preocupada com o fato de que solicitar autorizações de usuários pudesse afetar negativamente o ecossistema de publicidade, comprometendo a possibilidade de monetizar propriedades digitais. As perguntas mais comuns, foram: Os usuários estarão dispostos a compartilhar seus dados? Haverá um número menor de anúncios targetizados? Haverá um dano econômico para os publishers?

Na verdade após um curto período de confusão, nos primeiros dias após a entrada em vigor do regulamento, durante o qual houve realmente uma queda nas compras de anúncios, a situação foi normalizada. A resposta dos usuários não foi tão negativa e o mercado começou a se adaptar à nova dinâmica.

O que os publishers precisam fazer para estar em conformidade com o GDPR

Concluindo, estar em conformidade com o GDPR agora é uma condição necessária para os editores online. Mas, o que o proprietário de um site precisa fazer para estar em conformidade com este regulamento? Certamente, uma boa estratégia é usar um CMP registrado no framework do IAB e, em particular, na sua versão mais atualizada, TCF v2.0.

Após alguns meses de co-presença com o TCF v1.1, a transição final para o TCF v2.0 está agendada para junho de 2020. Nesse ponto, o suporte ao TCF v1.0 terminará e o TCF v2.0 será a única Transparency and Consent Framework capaz de garantir a conformidade com o GDPR aos editores que o aderem (diretamente ou por meio de CMPs de terceiros).

A Clickio é um parceiro aprovado pelo IAB e oferece a seus clientes uma ferramenta simples que permite definir o consentimento com rapidez e facilidade. Vamos ver o que é.

Clickio – Ferramenta de Consentimento GDPR

A ferramenta de consentimento da Clickio é uma solução que permite que os publishers estejam totalmente em compliance com o GDPR de maneira fácil e flexível. A ferramenta coleta o consentimento do usuário e compartilha com os fornecedores do IAB Framework e com os produtos do Google Ads. A Clickio está oficialmente registrada como um provedor de gerenciamento de consentimento do IAB e está entre os primeiros CMPs a passar em todas as verificações de conformidade da Transparency and Consent Framework (TCF) v2.0.

A ferramenta de consentimento da Clickio oferece total conformidade com a política de consentimento do usuário UE do Google e com os requisitos de outros parceiros de demanda; além de fornecer aos publishers uma grande flexibilidade na escolha de suas preferências. Você pode escolher os processos de coleta de consentimento recomendados pelo Google em Cookiechoices.org, bem como abordagens alternativas.

Se você quiser mais informações sobre a ferramenta de consentimento da Clickio, confira este site ou entre em contato conosco.