Desde junho de 2021, os Core Web Vitals (CWV) para dispositivos móveis têm sido um dos principais fatores de classificação para sites, e é por isso que os CWVs e a otimização do site desempenham um papel importante na atração e retenção de usuários. Em fevereiro de 2022, o Google começou a lançar os CWVs para sites na versão desktop, com a atualização a ser totalmente concluída até o final de março. Pensando nisso, é importante que os editores saibam como otimizar seus Core Web Vitals para desktop.

Em geral, os requisitos de classificação para sites na versão desktop serão os mesmos dos dispositivos móveis, com as métricas Largest Contentful Paint (LCP), Cumulative Layout Shift (CLS) e First Input Delay (FID), usadas ​​para medir, respectivamente, a velocidade de carregamento, a estabilidade e a capacidade de resposta. Eles serão usados ​​juntamente com outros sinais de experiência na página, como segurança HTTPS, Time to Interactive (TTI) e ausência de intersticiais. (Você pode ler mais sobre as métricas dos Core Web Vitals clicando aqui.)

Mas há uma diferença em relação às pontuações de desktop: otimizar seu site para dispositivos móveis não valerá para os resultados de pesquisa nos desktops. Na verdade, o Google reconhece as versões desktop e dispositivo móvel do mesmo site como entidades separadas. De agora em diante, se o site usar URLs diferentes para as versões desktop e dispositivo móvel, então os sinais de pesquisa nos computadores (se configurados corretamente) serão gerados com base no URL visto pelo usuário da versão “completa” do site. Isto pode levar alguns editores a se depararem com pontuações bastante divergentes para as duas versões do site. 

Por que a otimização de desktop pode ser mais difícil do que parece?

Com velocidades de conexão mais rápidas e maior poder de processamento, os computadores desktop deveriam, por conta disso, ter um desempenho melhor nos Core Web Vitals, mas este não é necessariamente o caso. Na verdade, os números do Relatório de Experiência do Usuário do Chrome mostram que, para os 1.000 principais sites de mídia do mundo, apenas 59% estão em conformidade com o CLS em seu site para desktop, em comparação com 67% para dispositivos móveis. Isto significa que os sites para desktop estão passando por mais mudanças inesperadas de layout nas páginas do que deveriam – um problema que frequentemente leva a cliques acidentais pelos usuários e, como resultado, penalidades do Google.

As pontuações mais baixas do CLS no desktop talvez se devam aos editores que nos últimos meses concentraram seus esforços de otimização nos dispositivos móveis. Em muitos casos, os sites para desktop ainda adotam configurações de carregamento excessivamente complicadas e lentas, que em breve poderão ser penalizadas nas classificações de pesquisa.

Dicas para otimizar os Core Web Vitals para desktop

Use uma CDN

Explicamos aqui as vantagens de usar uma CDN (rede de distribuição de conteúdo), que é especialmente eficaz se os usuários do seu site estiverem localizados longe do servidor do site original. Ao usar uma CDN, o conteúdo estático “peso-pesado” (imagens, vídeos, CSS, etc.) é solicitado do ponto de presença (um servidor intermediário que duplica o conteúdo do principal) mais próximo do usuário. Por consequência, o tempo de processamento de uma solicitação do usuário é significativamente reduzido.

Preste atenção as imagens

Ainda que os desktops possam lidar com o carregamento de páginas mais rapidamente do que os dispositivos móveis, isto não significa que vale a pena sobrecarregar as páginas com imagens. Estamos falando de uma otimização simples de gráficos tanto em tamanho (resolução) quanto em formato. É claro que ninguém usa imagens bmp nas páginas, mas você deve prestar atenção ao WebP que consome menos recursos, o qual pode substituir completamente o formato png familiar. Você também pode ir mais fundo e usar o carregamento lento de imagens ao rolar uma página. Isto poupará recursos do usuário e aumentará a métrica LCP.

Não se esqueça dos scripts

Trate-se de um script interno do seu site ou de um script de terceiros, referindo-se a algum recurso externo, tudo cria uma carga adicional nas páginas. Neste último caso, muitas vezes até mais do que no primeiro, já que os usuários precisam esperar uma resposta não apenas do seu, mas também de um servidor de terceiros. Então escolha seus plugins, rastreadores e anúncios cuidadosamente. Ao mesmo tempo, será útil realizar testes A/B (A/B testing) para medir o desempenho.

Reserve espaço para anúncios

Todos os anúncios devem ter seu próprio espaço reservado, processado por um navegador, pois, do contrário, o layout da página não será exibido corretamente. Geralmente acontece assim: um usuário abre a página, espera o conteúdo principal carregar (provavelmente clica nele) e vê como a página muda cada vez mais, impedindo-o de trabalhar com seu conteúdo. É desse jeito que os anúncios sem espaço alocado normalmente são carregados, e é a melhor maneira de baixar sua pontuação no CLS. Tenha em mente também que esse tipo de anúncio em geral não é adaptável (não leva em conta a resolução da tela do dispositivo).

Ative o monitoramento de usuário real

Para otimizar seu site de forma eficaz e obter feedback imediato sobre qualquer alteração realizada, é importante obter dados sobre suas pontuações dos Core Web Vitals em tempo real, com base nas experiências reais dos visitantes do seu site. Caso você esteja contando com ferramentas como o Google Search Console, que são baseadas em dados históricos, pode ser difícil ver o impacto das melhorias que você está fazendo ou então agir rapidamente se suas pontuações começarem a baixar.

O Clickio Web Vitals Monitoring fornece uma análise granular em tempo real dos CWVs, com alertas automatizados se as pontuações caírem abaixo de um determinado nível. Ele também oferece aos editores a funcionalidade de detalhar por página, dispositivo, navegador e dimensões personalizadas para identificar a origem de todos os problemas que precisam ser resolvidos.

Clique aqui para se cadastrar gratuitamente no Clickio Web Vitals Monitoring.