Resumo 

O que é uma CDN?

Imagine uma situação: dois usuários com os mesmos dispositivos e velocidade de rede tentam abrir o mesmo site, que está localizado em um servidor na Europa. Ao mesmo tempo, o usuário nº 1 está localizado na Europa e o usuário nº 2 está na Ásia. A solicitação deste último levará mais tempo para ser processada devido ao afastamento geográfico e isso, por sua vez, afetará a velocidade do download.

Não se esqueça, esse fator também é fundamental para a classificação nos resultados de pesquisa do Google, pois afeta diretamente a taxa de rejeição. Por exemplo, se o tempo de carregamento da página aumentar de 1 para 3 segundos, a taxa de rejeição aumentará em 32%. Se demorar até 6 segundos, a taxa de rejeição aumentará em 106%. Este problema não pode ser resolvido apenas otimizando o site e o servidor, por isso é necessário utilizar uma CDN.

Uma CDN (Content Delivery Network) é uma estrutura de rede distribuída geograficamente, servindo ao propósito de otimizar a entrega de conteúdo ao usuário final. Ao usar uma CDN, um “estágio” intermediário é adicionado ao esquema usual de processamento de solicitações de usuário-servidor-usuário.

Como funciona uma CDN?

Vamos voltar ao nosso exemplo com um servidor europeu e dois usuários localizados em regiões diferentes. Ao usar uma CDN, o tempo de resposta para um usuário da Ásia diminuirá, pois a solicitação será processada não pelo servidor europeu original, mas pelo asiático mais próximo, incluído na rede CDN. É por isso que usar uma CDN é vital para “pesos pesados”, como lojas online com um vasto catálogo de produtos, hospedagem de fotos e vídeos, plataformas de streaming, serviços de jogos, redes sociais e sites com grande número de visitantes em todo o mundo.

Ao usar uma CDN, os usuários recebem dados em cache do servidor CDN mais próximo (point of presence ou PoP), não o original, que pode estar localizado muito mais longe. O cache no servidor CDN é formado desta forma:

  1. A primeira e mais demorada solicitação do usuário é enviada ao servidor principal.
  2. O cache, gerado de acordo com a solicitação, é transferido para o ponto de presença (servidor CDN, que é o mais próximo do usuário).
  3. Os dados de cache são enviados aos usuários do ponto de presença, em resposta a todas as solicitações subsequentes do mesmo tipo.
  4. Os servidores CDN da mesma rede enviam solicitações entre si (para minimizar o número de solicitações ao servidor principal e diminuir o tempo de download para usuários finais).

Assim, quanto mais ampla for a rede CDN, mais solicitações de um número maior de regiões geográficas ela poderá processar. Isso significa que o tempo de carregamento do site europeu para usuários da Europa e Ásia será aproximadamente o mesmo, se o ponto de presença estiver localizado nesta última região.

Os servidores CDN são usados ​​para armazenamento em cache de acordo com as solicitações específicas, não para download, como servidores de arquivos.

Conteúdo estático e dinâmico

Agora, depois de descrevermos o básico de uma rede CDN, vale a pena mencionar como exatamente o conteúdo de diferentes tipos (estático e dinâmico) é processado.

O conteúdo estático é o conteúdo em cache que não pode ser alterado – gráficos, arquivos de áudio e vídeo, elementos JS, CSS, etc. É o maior e, portanto, o mais lento para baixar. Seu processamento depende diretamente da velocidade da rede.

O conteúdo dinâmico é gerado no momento do recebimento de uma solicitação do servidor e pode ser baixado do banco de dados ou alterado pelo usuário (favoritos, histórico, geolocalização, etc.). É processado por hardware, usando RAM.

O tempo de download e processamento de solicitações aumenta, se o conteúdo dinâmico e estático for carregado simultaneamente no mesmo servidor. É aqui que uma CDN também ajuda. O conteúdo dinâmico, sendo muito menos intensivo em recursos, é baixado do servidor principal e o conteúdo estático é entregue ao usuário final através da rede CDN, o que reduz significativamente o tempo de download.

Quais são os benefícios de usar uma CDN?

Vamos dar uma olhada no exemplo do popular provedor de CDN Cloudflare:

  • Melhora a experiência do usuário: O carregamento mais rápido significa uma menor taxa de rejeição dos usuários e mais tempo gasto no site.
  • Atrai mais visitantes: Diretamente relacionado ao ponto anterior, pois o Google leva em consideração a experiência do usuário e o desempenho em seus rankings SERP. Quanto maior a posição, mais visualizações o site provavelmente receberá.
  • Tem um efeito positivo nas métricas dos Core Web Vitals: o uso de CDN está diretamente relacionado à métrica Time To First Byte (TTFB), que por sua vez afeta o First Input Delay (FID). Já abordamos o papel dessas e de outras métricas em nosso artigo sobre o caminho de renderização crítico.
  • Diminui a carga no servidor web do site: A maioria das respostas são retornadas do cache.
  • Melhora a confiabilidade e segurança: Fornece VPN, firewall, proteção contra ataques DDoS, bots e vazamentos de dados.
  • Fornece estatísticas e reportes detalhados: informações sobre largura de banda usada, visualizações de página, ataques desviados, etc.

Como obter acesso gratuito ao Cloudflare Enterprise

A Clickio usa o serviço de nível empresarial da Cloudflare, que fornece acesso a intervalos de IP dedicados da Cloudflare, fornecendo roteamento e proteção priorizados para garantir a máxima velocidade e disponibilidade. O serviço também vem com garantia de tempo de atividade de 100%, proteção avançada contra bots e suporte 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Esse serviço geralmente está disponível apenas para grandes empresas e empresas de tecnologia especializadas, mas os publishers que usam o Clickio Prism obtêm automaticamente acesso gratuito ao Cloudflare Enterprise por meio da conta do Clickio.

Para saber mais, por favor entre em contato.